Blog

Qualidade de energia: os prejuízos que distúrbios elétricos causam às empresas

Qualidade de energia - luke

OMS aposta na tecnologia Fluke contra distúrbios elétricos que afetam a qualidade de energia e geram sérias perdas nas empresas

Qualidade de energia é um dos temas mais comuns hoje em dia, tanto em empresas como em indústrias. Isso porque a eletrônica embarcada nos processos e equipamentos industriais é cada vez mais forte.

Consequentemente, sentimos o aumento na eficiência de processos e prazos. Por outro lado, a presença de grandes quantidades de equipamentos eletrônicos gera distúrbios elétricos que afetam a qualidade de energia utilizada para fabricar produtos ou prestar serviços.

“Tudo tem eletrônica embarcada. E essa eletrônica acaba distorcendo a energia que vai para os equipamentos” – explica o engenheiro eletricista Henrique Nascimento Costa.

Sobretudo, as distorções elétricas afetam a qualidade de energia que abastece as máquinas gerando uma série de prejuízos, como veremos a seguir.

Prejuízos dos distúrbios na qualidade de energia

Em linhas gerais, a presença de muitos equipamentos eletrônicos (que, por sua vez, são compostos de componentes elétricos denominados “não-lineares”) altera as características da energia elétrica que abastece o sistema elétrico. Seja esta energia proveniente de geração própria ou de uma distribuidora local.

“O ideal seria uma energia em 60Hz (Hertz), em corrente alternada – que é o padrão de energia que vem para as nossas casas e empresas. As distorções elétricas fazem com que essa energia acabe adquirindo outras características, que não são desejadas” – explica Costa.

Como resultado, essas alterações na qualidade de energia afetam diretamente o funcionamento dos equipamentos em indústrias e empresas.

Portanto, os distúrbios elétricos podem gerar problemas como:

  1. Mau funcionamento de máquinas
  2. Perda de eficiência na produção
  3. Queima de equipamentos com componentes eletrônicos
  4. Sobreaquecimentos dos aparelhos e circuitos elétricos
  5. Incêndios.

Tipos de distúrbios que afetam a qualidade de energia

Os problemas na qualidade de energia que causam prejuízo financeiro às empresas podem estar em locais insuspeitos. É o caso da interferência em máquinas gerada por reatores de lâmpadas. Ou de componentes eletrônicos de motores que alteram os padrões elétricos de todo o sistema. Os distúrbios mais comuns sentidos pelas empresas são:

  • Desequilíbrio de Tensão: gera perda de energia, diminuição da capacidade de transmissão elétrica, prejudica motores a indução e causa aquecimento de equipamentos.
  • Desequilíbrio de Frequência: afeta principalmente geradores, transformadores e equipamentos eletrônicos. Estes podem sobreaquecer ou até queimar.
  • Ruídos: podem ser originados por equipamentos que emitem ondas em alta frequência. Por exemplo: os reatores de lâmpadas fluorescentes. Eles contaminam a tensão da rede e, ao alterarem a frequência das ondas elétricas, afetam o funcionamento de eletrônicos.
  • Harmônicas: as distorções harmônicas de tensão e corrente “drenam” energia. E além do desperdício que eleva a conta de luz, prejudicam o funcionamento dos equipamentos.
  • Interferências eletromagnéticas e por radiofrequência: podem queimar circuitos. Também afetam o funcionamento dos equipamentos e podem até inutilizá-los.

 Fluke: a melhor tecnologia contra distúrbios

Todos os distúrbios de qualidade de energia são detectados mediante a execução de análise com equipamentos apropriados. O chamado “laudo com analisador de energia” é o levantamento ideal sobre a qualidade de energia em empresas e indústrias. Saiba mais sobre o laudo analisador neste post. Ou baixe o nosso e-book sobre laudos elétricos.

O equipamento Fluke – utilizado pela OMS Engenharia – é considerado o mais preciso do mercado na medição de distúrbios. Por isso, neste ano a OMS participou de um treinamento de medição e emissão de relatórios, promovido pela Fluke em São Paulo.

Qualidade de energia - Fluke

Medição Fluke

O treinamento que conferiu à OMS Engenharia a certificação FLUKE foi ministrado pelo professor Edson Martinho. Autoridade nacional no assunto, o engenheiro também preside a Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade.

Nesse contexto, a organização desenvolve conceitos de segurança e técnicas de controle seguro do risco em instalações e serviços com eletricidade. Também lança o anuário de acidentes elétricos, referência no Brasil.

“As medições de grandezas elétricas precisam ser realizadas com as instalações energizadas, por isso os equipamentos de teste ou medição devem ter a segurança como principal preocupação” – alerta a Abracopel.

A entidade “recomenda a utilização dos equipamentos de teste e medição da Fluke, uma parceira da Abracopel na luta pela redução do número de acidentes causados pela eletricidade”.

 

Correção da qualidade de energia

A partir da identificação dos distúrbios por aparelhos e técnicas apropriadas, é possível corrigir problemas na qualidade de energia.

A aplicação de filtros é uma das formas de evitar distorções.

Também é importante que os distúrbios sejam previstos antecipadamente, no projeto e na execução das instalações elétricas.

“A melhor forma de evitar distúrbios na qualidade de energia é realizar o correto dimensionamento das instalações elétricas. Ou seja: antever essas situações, já que são muito comuns hoje em dia, especialmente em médias e grandes empresas” – conclui o engenheiro da OMS, Henrique Costa.

Como pudemos ver, distúrbios na qualidade de energia são assunto sério, pois podem gerar queima de equipamentos, reduzir a produtividade e aumentar a conta de luz. E já que não podemos fugir dos aparelhos eletrônicos, não há remédio senão analisar a eletricidade com tecnologia de ponta, como a Fluke, e apostar na prevenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.