Blog

Certificação de Cabeamento Estruturado: como funciona e qual a importância para a sua empresa

Certificação de Cabeamento Estruturado

A certificação de cabeamento estruturado é fundamental para o bom funcionamento das redes por onde trafegam dados, voz e imagem nas empresas.

Sem a certificação, o sistema de cabos responsável por toda a comunicação corporativa pode falhar, comprometendo operações de TI, paralisando negócios e gerando perdas enormes.

Nessas horas, o ideal é deixar o jeitinho de lado e contratar os serviços de uma empresa especializada. Além de profissionais qualificados, esse processo depende de equipamentos específicos. E não é coisa simples.

É exatamente sobre isso que vamos falar neste guia completo sobre como funciona a certificação de cabeamento estruturado e qual a importância dela para a sua empresa.

 

O que é e por que fazer a certificação de cabeamento estruturado?

 

Após a instalação ou reforma de todo o sistema de cabeamento estruturado de sua empresa, é preciso verificar se está tudo dentro das normas técnicas e em perfeito estado de funcionamento.

Para isso, é necessário obter a certificação do cabeamento estruturado.

Certificar é testar um link e comparar o resultado com o desempenho esperado pelas normas técnicas para o tipo de rede planejada.

Em outras palavras, é testar todo o sistema de cabeamento instalado e verificar se ele está de acordo com os padrões vigentes para cada categoria de cabeamento.

Nesse sentido, a certificação de cabeamento estruturado garante, por exemplo, que o comprimento dos cabos e os conectores estejam em conformidade com os requisitos ideais para evitar interferências, ruídos ou outros defeitos na comunicação dos sinais de dados e voz.

Esses testes são necessários também para possibilitar o funcionamento da rede com a qualidade e a performance padronizadas para cada categoria de cabeamento instalada.

Se, por exemplo, a rede de sua empresa conta com cabeamento metálico de par trançado categoria 6 (CAT. 6), não apenas os cabos como os conectores e toda a infraestrutura devem ser compatíveis. Do contrário, a rede não terá o desempenho esperado para a categoria. Ou, o que é pior, simplesmente não funcionará.

→ Neste post aqui, você pode conhecer as diferentes categorias de cabeamento estruturado metálico e de fibra ótica, entendendo os requisitos básicos de cada categoria.

Com a certificação de cabeamento estruturado é possível:

  • Verificar a qualidade do material de cabeamento adquirido;
  • Verificar a qualidade de mão-de-obra utilizada na instalação;
  • Verificar a compatibilidade com as aplicações de rede pretendidas.

A certificação garante a aceitação do trabalho realizado por um padrão de qualidade previamente acordado entre as partes técnicas, agências reguladoras e os principais agentes do mercado (fabricantes, revendas, instaladores e usuários).

 

Certificação de Cabeamento Estruturado2

 

Assim, a certificação de cabeamento estruturado permite que:

 

– O cliente final tenha a certeza de que foi instalado o que ele contratou;

– O fabricante do cabeamento poderá oferecer uma garantia estendida, já que a instalação do sistema foi feita dentro das normas técnicas;

– O instalador terá a confirmação da realização do seu trabalho, evitando qualquer falha na prestação dos serviços;

–  As aplicações que forem instaladas terão a sua performance garantida, assegurando que não ocorram falhas durante o seu funcionamento.

Ou seja, a certificação de cabeamento estruturado serve para verificar o cumprimento do contrato de fornecimento do sistema. É por meio da certificação que se atesta que a instalação do cabeamento estruturado foi realizada de acordo com os padrões pré-estabelecidos, e com a certeza de que a performance e a qualidade do sistema de cabos sejam as melhores.

 

Como é feita a certificação dos cabos?

 

A certificação é feita a partir da utilização de equipamentos específicos para essa finalidade. A definição de qual aparato técnico será necessário depende do tipo de sistema de cabos que será analisado.

Vários equipamentos podem ser utilizados para a análise dos cabos de uma rede e, por isso, é importante entender como cada um deles funciona. São eles:

 

Testador de cabos

 

O testador de cabos é um equipamento utilizado para realizar testes nos condutores dos cabos metálicos de par trançado. Por ser um equipamento mais simples, ele é usado para verificar a qualidade do condutor, apontando qualquer falha que possa existir entre os condutores ou se há alguma conexão cruzada.

O testador geralmente é um equipamento composto de circuito eletrônico simples, que possui uma unidade central e outra remota. Quando conectado, ele manda um sinal indicando se está certo o mapa de fios. Este mapa é a sequência correta dos cabos. E também se os cabos estão ligados corretamente.

O testador de cabos é indicado para ser usado frequentemente por técnicos para realizar testes em campo. Ele auxilia no trabalho de pequenos reparos no cabeamento. Ele é um testador e, por isso, não pode ser utilizado para definir a certificação.

 

Qualificador de cabos

 

O qualificador de cabos é utilizado para determinar se um link de cabeamento já instalado pode transmitir os dados de forma correta através de uma tecnologia de rede específica.

É o qualificador que poderá atestar se o cabeamento suporta a largura de banda requerida. Além disso, os qualificadores de cabos também são utilizados para testar a funcionalidade da rede.

Nesse processo, ele identifica o que está na outra ponta do cabo e apresenta a configuração do dispositivo. Além disso, esse equipamento mostra se há portas de switch que não estão sendo utilizadas. Também, mapeia os cabos e indica a metragem dos lances.

Apesar de mapear e identificar de forma adequada o sistema de rede, o qualificador não serve para definir a certificação de cabeamento estruturado.

 

Certificação de Cabeamento Estruturado3

 

Certificador de cabos

 

A certificação de cabeamento estruturado é feita, de fato, com um aparelho chamado certificador. Este equipamento é utilizado para medir e testar a funcionalidade e o desempenho dos cabos de acordo com o desempenho estabelecido pelas normas em vigência.

O certificador possui uma unidade principal e uma remota, cada uma em uma extremidade. A unidade principal é responsável por mandar o sinal para a unidade remota. O sinal retorna e, então, essa unidade faz toda uma varredura e testa todos os parâmetros.

A certificação de cabos com o equipamento certificador ajuda a responder algumas perguntas, como:

  • Qual é a eficiência da transmissão do sinal pelo cabo?
  • O sinal está livre de interferência?
  • O sinal tem potência suficiente ao chegar ao outro lado da extremidade do cabo?

A resposta para todas essas perguntas virá quando a medição estiver sendo feita pelo técnico. Assim, a qualidade do cabeamento será determinada de acordo com os seguintes fatores:

– Paradiafonia (NEXT, Near End Crosstalk);

– Perda de retorno e inserção (atenuação);

– Atraso de propagação;

– Desvio de atraso de propagação (Delay Skew);

– PS-NEXT (Power Sum NEXT);

– PS-ELFEXT (Power Sum ELFEXT);

– Relação atenuação/paradiafonia (ACR – Attenuation to Crosstalk Ratio).

Ao final da análise, o certificador atesta se o cabeamento está qualificado ou não. Todos os dados que foram obtidos são registrados no aparelho, e é emitido um relatório completo da análise. Para cada cabo testado, o certificador emite um relatório muito mais completo e avançado do que um teste comum de rotina.

Além do mapa de fios e da conexão, o certificador de cabos também realiza o teste de perda de retorno. Ou seja, analisa:

  • se houve perda de retorno do sinal
  • a quantidade que se está perdendo de sinal
  • se o sinal está dentro da faixa determinada pelas normas
  • o comprimento do cabo, entre outras coisas.

 

Que falhas a certificação de cabeamento estruturado, feita de acordo com as normas, pode evitar?

 

Agora que já vimos o que é certificação e quais são os aparelhos que podem ser utilizados, chegou o momento de falar sobre as normas que regem a certificação do cabeamento estruturado.

As normas utilizadas para nortear a certificação são publicadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT, e por entidades internacionais como a ANSI/EIA/TIA. São elas que definem os limites mínimos para os parâmetros de desempenho necessários aos componentes e aos enlaces instalados.

Toda norma define como o cabeamento estruturado deve ser testado de acordo com os parâmetros pré-estabelecidos. Atender aos limites mínimos é obrigação de quem fabrica e de quem instala.

Isso evita que falhas aconteçam durante o processo. E podem ser várias.

 

Algumas das principais falhas que podem ser evitadas com a certificação de cabeamento estruturado são:

 

– Material fornecido de categoria errada, diferente da pretendida;

– Material danificado no armazenamento ou transporte;

– Material com defeito de fabricação;

– Procedimentos de instalação que danificaram os cabos;

– Utilização de procedimentos incorretos de montagem ou produtos químicos;

– Links incorretamente identificados;

– Links não fornecidos na quantidade correta;

Ao eliminar a existência desses e outros problemas, a certificação possibilita o bom funcionamento da rede. E, também, a obtenção de garantia estendida do fabricante do cabeamento.

 

Parâmetros de desempenho do cabeamento de par trançado

 

Os parâmetros do cabeamento de par trançado são utilizados para verificar qualquer falha que pode trazer problemas ao sistema de cabeamento estruturado metálico. Esses parâmetros visam caracterizar a capacidade de tráfego de dados em um enlace de cabeamento.

Para que isso ocorra, é preciso seguir algumas definições especificadas pelas normas:

  • Quais os parâmetros a serem tratados;
  • Sob quais condições os testes devem ser feitos (cabos, frequências, potências, tensões e outros);
  • Com quais ferramentas e equipamentos os testes são realizados;
  • Quais são os resultados esperados.

Com as respostas dos itens acima em mãos, a equipe técnica está pronta para realizar os testes do cabeamento de par trançado. Para tanto, na hora dos testes é importante observar e estar atentos às seguintes questões estabelecidas pela NBR 16869-1 (com base na ISO/IEC 14763-2):

– Todos os links devem ser medidos quanto à “verificação básica”, independentemente da categoria;

– Todos os links a partir da categoria 5e devem ter também os parâmetros de transmissão medidos;

– Todos os links da categoria 6A, não blindados, devem ter também os parâmetros de transmissão medidos;

– Para a norma ISO, verificar também os parâmetros de allien crosstalk para as classes Ea, F e Fa, independentemente da blindagem.

Para que os testes sejam feitos, há duas possibilidades. A primeira delas é chamada “canal” (channel). Ela é feita com um cabo horizontal de 90 metros (condutor sólido), junto com 10 metros (total) de patch cords (condutor flexível) e 4 conexões. Totalizando, assim, 100 metros de cabeamento.

Já o segundo modelo é chamado de “link (enlace) permanente” (permanent link), que consiste em 90 metros de cabo horizontal (condutor sólido).

 

Teste de cabeamento em fibra óptica

 

A constante evolução dos sistemas de fibra de óptica de alta velocidade exige cada vez mais que o toda a rede esteja segura. E, principalmente, possua uma infraestrutura adequada para suportar os acessos, aplicativos e serviços das empresas.

Com isso, os testes de cabeamento em fibra óptica se mostram importantes, pois através deles é possível:

– Avaliar o desempenho dos componentes ópticos fornecidos (fibra óptica, conectores, emendas, patch cords, etc.);

– Avaliar a mão de obra utilizada na instalação do enlace (lançamento dos cabos, conectorização, confecção de emendas, acomodação de sobras, limpeza das conexões, etc.);

– Verificar a compatibilidade do enlace óptico com as aplicações e velocidades de rede que utilizarão o cabeamento.

Além disso, é preciso que os instaladores, engenheiros, técnicos e gerentes de projeto tenham a expertise necessária para identificar, resolver os problemas e analisar os resultados com eficiência, para que se certifique o desempenho da infraestrutura de fibras.

Os principais métodos de teste do cabeamento óptico são: canais horizontais, cabeamento óptico centralizado e canais de Backbone.

Os canais horizontais são usados para testar apenas um comprimento de onda 850nm ou 1.300nm, numa única direção. Já no cabeamento óptico o teste é feito em um comprimento de onda 850nm ou 1.300nm numa única direção.

Por fim, os canais de Backbone testam no mínimo em uma direção nos comprimentos de 850nm e 1.300nm para fibras multimodo e 1.310nm e 1.550nm em fibras monomodo.

 

Certificação de Cabeamento Estruturado4

 

Em resumo…

 

A obtenção da certificação de cabeamento estruturado não é apenas um atestado de bom funcionamento e segurança do sistema de rede da empresa. É também uma ferramenta para ser utilizada pelos gestores para melhorar os processos de TI dentro de suas organizações.

A certificação traz para a empresa a otimização dos recursos financeiros, a identificação de todos os pontos de rede e, principalmente, agilidade no diagnóstico de problemas de conexão e tráfego de dados.

Além disso, a certificação de cabeamento estruturado é a garantia de que todas as informações e conexões da empresa estão dentro das normas, possuem qualidade e que dificilmente a organização sofrerá com falhas no sistema.

Essa segurança é fundamental num mundo onde as tecnologias convergem cada vez mais, dependendo de redes unificadas, velozes e eficientes.

“Por exemplo, a parte de automação industrial e predial, que cada vez mais trabalham em conjunto, convergem em redes únicas de cabeamento estruturado” – explica o engenheiro eletricista Henrique Costa, da OMS Engenharia.

E nós, da OMS, estamos preparados para atender a sua empresa prestando serviços com equipamentos certificadores de ponta.

Entre em contato conosco por aqui e garanta que a sua organização terá a certificação de cabeamento estruturado feita com qualidade e segurança.

→ Leia também nosso post que explica como é elaborado um projeto de cabeamento estruturado. É um guia completo que pode te ajudar muito na hora iniciar o projeto de rede em sua empresa!

→ E aproveite para conhecer mais sobre a manutenção de cabeamento estruturado.

Obrigado pela visita e nos vemos em breve!

 

Produzido por Share Mkt.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.