Blog

BALANÇO 2021 OMS: um ano de megaobras de Engenharia Multisserviços

Balanço 2021

Balanço 2021: grandes e megaobras foram a tônica de 2021 – ano que marcou a consolidação da OMS Engenharia como empresa multisserviços.

A OMS nasceu no ramo da engenharia elétrica, mas sempre teve vocação multifocal. Por isso, nos últimos anos, reestruturou-se para atuar como empresa de engenharia multisserviços.

Ou seja, ela desenvolve projetos e os executa do piso ao teto, realizando obras multimodais que, além de elétrica, envolvem as engenharias civil, mecânica e hidráulica.

Esse foi o caso da megaobra obra realizada para a Copel KM3, uma das sedes da Companhia de Energia Elétrica do Paraná – a maior empresa do estado, responsável por distribuir energia a 4,5 milhões de clientes em 394 municípios paranaenses.

Para que os colaboradores da Copel tivessem mais conforto ao retornar do sistema home office imposto pela pandemia de covid-19, em 2021 foram reformados aproximadamente 36,7 mil metros quadrados em quatro blocos do posto KM3.

Banheiros, piso, paredes, teto, elétrica, cabeamento estruturado, sistema de ar-condicionado: tudo foi revitalizado.

Profissionais dos mais variados segmentos da engenharia e da construção civil atuaram para entregar o projeto da Copel Km3 antes mesmo do prazo acordado. No pico da obra, mais de 70 pessoas trabalharam simultaneamente no local.

Clique no vídeo a seguir para conhecer esta megaobra de realizada pela OMS. E aproveite para conhecer mais sobre a engenharia multisserviços!

 

 

Balanço 2021: obras boas e boas obras

 

Além da realização de grandes obras como a da Copel, que consolidaram a OMS no mercado da engenharia multisserviços, 2021 foi um ano especial porque a empresa comemorou três décadas de existência. Fizemos até uma série especial para contar nossa história: OMS 30 anos.

Só que a festa do jubileu de pérola teve uma celebração diferente. Em vez de bolo e champagne, a OMS fez a doação de um sistema de geração de energia solar fotovoltaica para o Hospital Pequeno Príncipe.

“Nós queríamos fazer uma festa para compartilhar essa data importante com os nossos colaboradores. Mas, por conta da covid-19, o mundo estava um pouco delicado. Não sabíamos se poderíamos festejar porque decretos estaduais proibiam a circulação de pessoas e eventos. Foi aí que decidimos fazer a doação desse sistema fotovoltaico ao Pequeno Príncipe” – afirma Henrique Dariva, engenheiro da OMS.

O Pequeno Príncipe é o maior hospital pediátrico do Brasil. A instituição atende cerca de 300 mil crianças por ano e sobrevive de doações.

O sistema fotovoltaico instalado pela OMS Engenharia vai gerar uma redução de mais de R$ 500,00 por mês na conta de luz do hospital durante 25 anos.

Em todo esse período, a instalação irá proporcionar uma economia de 150 mil reais, sem contar os aumentos da tarifa energética, impostos e manutenções durante o prazo de validade da instalação.

Foi a maneira que a OMS encontrou de comemorar seus 30 anos com responsabilidade social.

“Esse tipo de atitude sempre esteve em nosso DNA. No DNA da OMS. A gente sempre ajuda a comunidade. Teve uma vez que reformamos a casa inteira de dois idosos que estavam vivendo em condições precárias aqui na região onde estamos instalados” – completa Dariva.

 

Ano de atualizações e desafios

 

Hoje o mundo gira muito rápido e é necessária uma mente disposta a atualizações constantes.  Ou melhor, um aprendizado contínuo ao longo da vida.

Há vinte anos não ouvíamos falar de BIM, 5G, internet das coisas, e hoje isso tudo é uma realidade presente em nossas vidas. Por isso, precisamos nos atualizar sempre.

Desde a sua formação, a OMS Engenharia sempre soube dessa necessidade. Nesse sentido, incentiva e sempre incentivou seus colaboradores a fazer cursos de aperfeiçoamento.

Em 2021, investiu muito nos colaboradores que querem aprimorar seus conhecimentos.

O foco do ano foi a realização de treinamentos e cursos na área de construção civil, bem como na leitura e interpretação de projetos.

Além desses cursos, também foi disponibilizado o treinamento para a utilização de plataforma BIM.

Este software permite cruzar dados e compatibilizar todas as infraestruturas envolvidas em uma obra de engenharia multifocal – como elétrica, civil, arquitetônica e hidráulica.

Com isso, é possível realizar projetos com maquetes em 3D capazes de evitar erros e incompatibilidades entre os diferentes setores de uma obra.

Para aperfeiçoar ainda mais a atuação das equipes da OMS em obras multisserviços, os colaboradores da empresa também tiveram treinamentos em normas de segurança, aplicação de revestimento cerâmico, instalação de paredes e forros drywall.

 

→ Veja aqui os detalhes sobre os treinamentos da OMS realizados em 2021 para aperfeiçoamento de projetos e obras de engenharia multisserviços.

 

Ótimos resultados, boas expectativas

 

Em termos de volume de negócios, vemos no balanço 2021 que o ano foi muito positivo para a OMS Engenharia, apesar de tudo que vivemos nos cenários político, econômico e social.

É claro que, em meio às incertezas geradas pela pandemia, as previsões para 2022 são instáveis.

Uma coisa, porém, é certa: a chegada de novas tecnologias, como o 5G, trarão impactos a variados setores.

Não é novidade que a transformação digital já é veemente no Brasil. Processos que antes eram feitos de forma até manual, hoje possuem scripts que os tornam digitais.

A tendência do mundo é a digitalização de tudo. Com o 5G, que começa a funcionar efetivamente em meados de 2022, a era dos dados virá à tona de uma forma massificante.

O Brasil e o planeta sofrerão uma grande transformação digital. E a inteligência artificial estará em evidência.

Com isso, mais do que nunca, as engenharias elétrica, civil e mecânica trabalharão em conjunto com a tecnologia.

Exemplos? Sensores para tudo serão implantados nas casas, empresas e ruas. Sistemas elétricos serão acionados por comandos de voz. E redes de telecomunicação e cabeamento estruturado serão cada vez mais essenciais para movimentar os dados de todos esses processos.

Para toda essa transformação, será necessário utilizar ainda mais energia. Nenhum setor sofrerá tanto impacto quanto o setor elétrico.

Os dados apontam que, considerando um crescimento do PIB de 2,7%, ao ano, haverá um aumento de 3,8% no consumo de energia elétrica.

Para abrandar toda essa demanda, que já vem causando estragos no Brasil com seus apagões e falta de uma estrutura adequada, as empresas instalarão mais usinas fotovoltaicas. O mundo se concentrará intensamente em medidas de eficiência energética.

Isso significa que, em 2022, todas as engenharias empregadas na construção civil terão que focalizar novas soluções para amenizar a alta demanda energética e dar suporte a redes de dados e voz cada vez mais complexas, assimilando as novas tecnologias.

Por isso, a engenharia multisserviços será mais essencial do que nunca. As corporações precisarão contar com empresas multifocais como a OMS, que é capaz de realizar obras envolvendo engenharia civil, elétrica, mecânica, hidráulica e de cabeamento estruturado. Tudo em uma empresa só, com atuação multisserviços.

Assim como fez na obra da Copel, a OMS está pronta para atender grandes corporações, levando a seus clientes soluções em todas essas disciplinas da engenharia.

Então, sejam quais forem os seus planos para 2022, conte com a OMS: uma empresa de engenharia multisserviços que cuidará de tudo para você – do projeto à execução e do piso ao teto.

Desejamos a todos um feliz Natal e um ano novo repleto de alegrias com grandes e boas obras! Um abraço e até 2022!

 

Balanço 2021 do setor de Engenharia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.