Blog

Projeto de eficiência energética: adote as medidas certas e veja a conta de luz despencar!

Projeto de eficiência energética

Um projeto de eficiência energética prevê medidas para reduzir o consumo e aumentar o aproveitamento da energia elétrica, o que representa economia na conta de luz.

Com a implantação de um bom programa de eficiência, os gastos com iluminação podem cair até 70%!

A economia pode ser maior ainda se as medidas de eficiência energética forem combinadas à instalação de um sistema de geração de energia solar fotovoltaica.

Em alguns casos, a combinação de programa de eficiência energética + geração solar faz o gasto total com energia cair até 90%. E isso tanto para edificações industriais como empresas ou residências.

No setor industrial, projetos de eficiência energética são vitais. Basta lembrarmos que indústrias são responsáveis por 31,7% do consumo energético do Brasil. Além disso, a energia elétrica é um insumo que representa mais de 40% dos custos na produção industrial, segundo a Firjan/Agência Brasil.

Por isso, ter eficiência energética na indústria significa produzir mais com menos energia. Ou seja, com menor custo.

Ao implantar medidas de eficiência energética, você otimiza o consumo e reduz as faturas de energia, gerando menos impacto para o meio ambiente e para a matriz elétrica brasileira.

Mas você pode estar perguntando:

  • Quais são as medidas que a minha empresa pode (e deve!) adotar para ter um programa de eficiência energética?
  • Como é elaborado o projeto de eficiência energética?
  • Qualquer tipo de empresa ou edificação pode implantar medidas de economia?
  • Como ter maior eficiência energética na indústria?
  • Como bancar meu projeto de eficiência energética com recursos do PEE da Anatel?

É o que vamos responder neste post. Confira!

 

O que é o projeto de eficiência energética e como ele é elaborado?

 

O projeto de eficiência energética é um planejamento que aponta as medidas de redução e otimização do consumo ideais para cada edificação comercial, residencial ou industrial.

As ações de eficiência são projetadas após a realização de avaliações técnicas do local, levando em conta o perfil de consumo e as metas de economia de cada empresa.

É a partir desse projeto que você poderá implantar em sua corporação um programa de eficiência energética (PEE). Mais que economia, o PEE significa uma mudança de atitude global em relação ao consumo de energia.

E isso pode envolver desde alterações arquitetônicas na edificação a medidas mais simples, como a utilização de lâmpadas econômicas ou a adoção de uma cultura corporativa ambientalmente correta.

 

O projeto de eficiência energética em novas edificações

 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, as edificações são responsáveis por 50% do consumo de eletricidade no Brasil.

Para elaborar o projeto de eficiência energética dessas edificações, é necessário realizar um estudo técnico das rotinas de consumo de energia nesses ambientes.

Se o prédio ainda está em planejamento, já poderá ser construído com todas as medidas de eficiência energética projetadas para gerar economia e melhor aproveitamento da energia elétrica.

Entre essas medidas, estão:

  • Utilização de lâmpadas eficientes, como a tecnologia LED.
  • Melhor aproveitamento da iluminação natural.
  • Uso de materiais que possibilitam melhor conforto térmico, reduzindo a utilização de aquecedores e de ar-condicionado.
  • Geração própria de energia solar fotovoltaica no telhado.
  • Sistemas de ar-condicionado de alta eficiência, já que ares-condicionados representam 40% do consumo de uma edificação.
  • Envoltória externa adequada às condições ambientais locais e à finalidade de uso. A envoltória representa 30% do peso sobre o consumo de energia, e por isso deve ser construída com materiais que favoreçam a economia.

 

Como implantar um programa de eficiência energética em edificação antiga?

 

Se a edificação – seja um condomínio, uma indústria ou uma empresa – já estiver em operação, o projeto de eficiência energética começa com a análise do consumo.

Portanto, gastar menos energia começa com a avaliação das instalações elétricas e das rotinas de utilização da energia elétrica.

Isso porque o desperdício ocorre tanto por problemas físicos na estrutura elétrica como pela má utilização da energia.

Em muitos casos, pequenos ajustes no layout da empresa já podem gerar economia. Mas para isso, é preciso analisar com cautela as faturas de energia e observar as rotinas corporativas. Vejamos como isso é feito.

 

Avaliação das instalações elétricas

 

O primeiro passo para um bom projeto de eficiência é realizar a avaliação técnica das instalações elétricas. Para isso, é fundamental contratar uma empresa de engenharia elétrica especializada, como a OMS Engenharia.

A empresa escolhida para realizar o projeto de eficiência energética terá que visitar a edificação para elaborar um laudo das instalações elétricas.

O “laudo elétrico” avalia as condições gerais da instalação. Durante as inspeções, os técnicos verificam onde estão os pontos de desperdício.

Além disso, detectam distúrbios elétricos que elevam a conta de luz, sugerindo medidas corretivas.

É o caso do baixo fator de potência, que gera gasto excessivo e multa na conta de luz. É um distúrbio elétrico pode ser corrigido com soluções como a implantação de bancos de capacitores.

Durante as inspeções do laudo, tudo isso é avaliado com a ajuda de aparelhos de alta precisão, como os medidores Fluke.

→ Aqui você fica sabendo como são feitos os laudos das instalações elétricas e os laudos de qualidade da energia, que encontram distúrbios elevadores da conta de luz.

Veja agora o que mudará na sua empresa ou condomínio residencial com a adoção de um programa de eficiência energética.

 

As ações de um projeto de eficiência energética

 

As medidas estabelecidas no projeto de eficiência energética de uma edificação podem variar de acordo com a utilização do espaço.

Um condomínio residencial ou prédio comercial implantará ações diferentes das que seriam utilizadas em uma indústria, por exemplo.

Isso porque, nas indústrias, a eficiência energética está bastante relacionada à utilização equipamentos com motores elétricos que exigem medições e avaliações de consumo específicas.

Por isso, a eficiência energética industrial incluirá algumas ações mais especializadas, como:

  • Controlar os distúrbios elétricos que elevam o consumo de energia.
  • Evitar a utilização de máquinas industriais no vazio, já que baixas cargas geram desperdício de energia.
  • Operar máquinas que funcionam no horário de ponta, quando a eletricidade é mais cara, em outros momentos.
  • Adequar a rotina nos horários de pico à classe de consumo da empresa.
  • Se possível, desligar lâmpadas em ambientes de pouco uso ou desocupados.
  • Adequar o índice de luminância e controlar o excesso ou falta de iluminação nos variados ambientes.

→ Veja aqui nosso post completo sobre eficiência energética industrial com muitas dicas para você economizar na sua indústria!

No entanto, podemos dizer que há um escopo geral de ações que os projetos de eficiência energética costumam recomendar às empresas. Confira!

 

7 medidas de eficiência energética para derrubar a conta de luz

 

1. Implantação de filtros

 

É uma medida adotada comumente para corrigir distúrbios da qualidade de energia nas empresas. São problemas como a flutuação harmônica, desequilíbrio de tensão e corrente ou interferências eletromagnéticas.

Esses distúrbios provêm da energia fornecida pela concessionária ou são causados pelos próprios equipamentos utilizados nos ambientes corporativos.

Em geral, geram mau funcionamento ou mesmo a queima de equipamentos. Além de sobreaquecimentos dos aparelhos e circuitos elétricos – o que significa desperdício de energia.

Nas empresas com distúrbios de energia, pode haver também incêndios, além de queda no desempenho e na produtividade.

 

2. Troca e automação da iluminação

 

substituição de lâmpadas comuns pelas de LED, 90% mais econômicas, é uma das medidas mais adotadas quando as empresas implantam um programa de eficiência energética.

Também é comum a automação da iluminação. Ela economiza com a instalação de sensores que desligam as lâmpadas em ambientes vazios.

 

3. Banco de capacitores

 

Instalação de banco de capacitorespara corrigir o baixo fator de potência em comércios e indústrias que pagam multapor excesso de energia reativa. Além de multa, o baixo fator de potência causa desperdício, o que eleva a conta de luz.

 

 4. Dimensionamento correto da infraestrutura elétrica 

 

Esse é o mais importante de todos os cuidados. Ao passo que aparelhos eletrônicos e máquinas são acrescentados a uma linha de produção, empresa ou residência, as instalações elétricas precisam ser readequadas para suportar as novas cargas.

Do contrário, ocorre superaquecimento e sobrecarga em cabos, circuitos, disjuntores, quadros de distribuição de energia e outros componentes da instalação.

Esses problemas são grandes fontes de desperdício de energia por “efeito Joule” ou fugas de corrente.

E além de reduzirem a eficiência energética, elevando a conta de luz, podem causar curtos-circuitos, choques e graves acidentes com perdas financeiras.

Veja um exemplo de como isso acontece na indústria e como pode ser resolvido.

 

5. Ajustes arquitetônicos na edificação

 

São necessários, por exemplo, quando o projeto de eficiência energética prevê alterações de layout da produção para otimizar o aproveitamento de máquinas fora do horário de ponta.

Ou quando a infraestrutura elétrica não suporta mais a elevação de cargas e precisa ser redimensionada para evitar o desperdício. Por vezes, essa readequação exigirá a redistribuição de circuitos com pequenas reformas civis.

Em outros casos, paredes podem ser construídas ou derrubadas para favorecer a iluminação. Da mesma forma, o projeto de eficiência energética pode prever a colocação de telhas que permitem a passagem de sol, bem como a implantação de janelas para aproveitamento da luz natural.

Adotar cores mais claras no ambiente para reduzir a quantidade de lâmpadas também é uma medida simples que pode produzir diferença na eficiência energética da empresa.

 

6. Manutenção elétrica preventiva

 

Tanto a avaliação das instalações quanto a manutenção elétrica são cruciais para evitar o desperdício e aumentar a eficiência energética nas empresas e residências.

Lembramos aqui do acidente que vitimou 10 adolescentes no CT do Flamengo e do incêndio que destruiu o Museu Nacional em 2018, no Rio de Janeiro.  São exemplos de como a falta de manutenção elétrica pode ser desastrosa.

As manutenções preventivas identificam as falhas antes que elas aconteçam efetivamente. E além da deterioração do sistema elétrico, evita o surgimento de pontos de desperdício de energia, corrigindo-os quando necessário.

Aproveite para conhecer mais sobre os tipos de manutenção elétrica que toda empresa precisa fazer para evitar acidentes e prejuízos financeiros.

Vejamos agora ao sétimo grande aliado da eficiência energética:  produzir a própria energia.

 

7. Geração de energia solar fotovoltaica

 

Com as tarifas de eletricidade cada vez mais caras, quem não gostaria de produzir a própria energia?

Reduzir drasticamente a conta de luz é a principal razão para os projetos de eficiência energética apostarem em sistemas de geração de energia fotovoltaica.

Nesse sentido, investir em um sistema de geração solar é tão interessante que a quantidade de usinas fotovoltaicas vem crescendo exponencialmente no Brasil.

Segundo a Aneel, a estimativa é que, só em 2021, a capacidade instalada de energia solar cresça 56% em relação ao ano anterior, mesmo com a pandemia de covid-19.  Até 2024, o país deve ter  mais de 1 milhão de sistemas fotovoltaicos instalados. Tudo isso movimentará mais de 100 bilhões de dólares.

O investimento inicial em uma geração solar retorna em 4 a 6 anos. Mas os painéis solares (módulos fotovoltaicos) duram em torno de 25 anos.

Isso significa que você terá duas décadas para gerar energia com o custo mínimo de manutenção da concessionária local.

A geração solar pode abastecer condomínios, empresas ou indústrias. E pode até estar num estacionamento fotovoltaico que produz energia, como o carport solar.

 

Veja estes exemplos

 

No vídeo a seguir, mostramos o exemplo real de uma empresa que instalou uma usina de geração solar em Curitiba. Confira a economia que esse cliente da OMS Engenharia conquistou e qual foi o tempo de retorno do investimento. Os benefícios são impressionantes!

 

 

Já esta reportagem mostra o depoimento de uma família que instalou painéis solares no telhado de casa com projeto da OMS Engenharia. E como ela reduziu drasticamente a conta de luz enquanto aumentou o conforto térmico da residência.

 

 

Para te ajudar a entender o custo-benefício dessa medida de eficiência energética, aqui temos uma lista com muita informação sobre a geração de energia solar!

 

Como financiar seu projeto de eficiência energética com o PEE da ANEEL?

 

O Programa de Eficiência Energética (PEE) da Aneel disponibiliza cerca de R$ 570 milhões por ano para bancar projetos de eficiência energética em todo o Brasil.

Apesar de ser gerido pela Agência Nacional de Energia Elétrica, o programa é executado pelas distribuidoras locais que atuam no território nacional.

Pela lei 9.991/00, cada concessionária é obrigada a destinar, anualmente, um percentual de sua receita operacional líquida para fomentar projetos que promovam a eficiência energética entre os consumidores finais.

Em cada distribuidora de energia, essa a verba do PEE é destinada às unidades consumidoras atendidas nos setores:

  • Industrial
  • Residencial (áreas comuns de condomínios)
  • Comércio e serviços
  • Poder público
  • Rural
  • Serviços públicos
  • Iluminação pública.

É a chance da sua empresa ter o aporte financeiro para implantar a tão sonhada geração fotovoltaica!

Ou do seu condomínio residencial adotar aquelas medidas de eficiência energética que ficaram no papel por falta de recursos!

 

Como participar do PEE no meu estado?

 

Para ser contemplado pelo PEE e ter seu projeto de eficiência energética totalmente bancado pela sua concessionária local, é preciso enviar uma proposta, cuja data varia, a cada ano, de acordo com um edital público.

Por exemplo, em 2020, o PEE da Copel – a companhia de energia do Paraná – os consumidores entregaram suas propostas de dezembro de 2020 a maio de 2021. Os projetos selecionados nessa chamada pública serão anunciados em 25 de agosto de 2021.

Os critérios técnicos para a aprovação das propostas levam em conta especialmente o custo-benefício. Ou seja, o retorno que as instalações previstas no projeto de eficiência energética irão gerar em relação ao custo do projeto.

 

Exemplo de projeto aprovado no PEE

 

O Pequeno Cotolengo ­– instituição que atua no acolhimento de crianças com deficiências múltiplas em Curitiba­­ – foi um dos contemplados pelo PEE da Copel em 2018.

A instituição concorreu com o projeto de instalação de um sistema de geração de energia fotovoltaica. Isso porque precisava reduzir as contas de luz, que estavam nas alturas.

Por isso a ideia de participar da chamada pública que contempla as melhores soluções em eficiência energética. Deu certo!

Depois dos trâmites, o projeto foi contemplado e hoje o Pequeno Cotolengo gasta 40% menos com energia elétrica. O dinheiro que sobra é aplicado em outros setores para melhorar o atendimento.

Em 2018 a Copel recebeu 43 propostas e destinou 39 milhões a projetos como o do Pequeno Cotolengo. Em 2019, a verba do PEE mais que dobrou, saltando para 100 milhões. E em 2021, serão distribuídos 30 milhões de reais.

Entre os atendidos pelo PEE também estão condomínios residenciais, empresas e outros tipos de consumidores.

Conheça a seguir exemplos de paranaenses contemplados acessando estas reportagens da TV Globo/RPC. E entenda como inscrever seu projeto de eficiência energética no PEE da Copel.

 

https://globoplay.globo.com/v/8071602/programa/

https://globoplay.globo.com/v/8071629/programa/

 

Financie com o PEE. Projete com a OMS!

 

Seja qual for o seu perfil de consumo, a OMS Engenharia pode ajudar a desenvolver o seu projeto de eficiência energética em Curitiba, no Paraná e em qualquer outra região do Brasil. E ainda executar as instalações!

Aproveite para se candidatar no Programa de Eficiência Energética da sua distribuidora local. Afinal, ser contemplado pelo PEE significa tirar as ideias do papel e, finalmente, ter recursos para realizar ideias inovadoras. Ou apenas se libertar definitivamente das elevadas contas de luz!

Temos muita informação para te ajudar:

Pronto para economizar? Contate-nos aqui agora mesmo e conte com a OMS Engenharia para viabilizar seu projeto de eficiência energética!

→ Aproveite para baixar nosso e-book completo sobre geração solar.

→ E não deixe de clicar no sininho para ficar muito bem-informado assinando nosso newsletter!

Obrigado pela visita e até o próximo post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat