Blog

Da paralisação de atividades à elevação na conta de luz: os problemas de um painel elétrico em Curitiba sem manutenção!

painel elétrico em Curitiba

Quando um painel elétrico em Curitiba precisa de atenção imediata, reparos, troca ou manutenção?

Também conhecidos como “quadros de distribuição”, os painéis elétricos são, na verdade, armários para circuitos. Eles recebem a energia da rede fornecedora por meio de um ou mais condutores. E a distribuem para os diversos circuitos do sistema elétrico.

Normalmente, esses circuitos alimentam as variadas partes de uma planta industrial ou, por exemplo, os andares e departamentos de uma edificação.

Além de distribuir energia, o painel também protege. Para isso, possui disjuntores que desarmam o sistema elétrico quando há sobrecarga em determinado circuito.

Numa analogia com o corpo humano, podemos dizer que um painel elétrico em Curitiba está para o sistema elétrico como o coração está para o corpo humano. E assim como o coração, ele pode “enfartar” se houver sobrecarga! Isso porque os painéis são sempre suscetíveis ao aquecimento, que é natural da atividade elétrica.

Quando um painel superaquece, surgem perigos reais. Entre eles:

  1. Curto-circuito.
  2. Explosão.
  3. Choques elétricos, até fatais.
  4. Desligamento e interrupção do fornecimento de energia.
  5. Paralisação de atividades.
  6. Oscilação que compromete a eficiência dos equipamentos.
  7. Queima de equipamentos eletrônicos e máquinas industriais.

O que causa aquecimento do painel elétrico em Curitiba?

Um painel é composto essencialmente de disjuntores (que cortam o fornecimento quando a carga extrapola o limite do sistema), chaves (que ligam, desligam ou alternam a corrente elétrica), fusíveis (que protegem o painel contra curtos e explosões), além de contadores, sinalizador luminoso e dispositivo de proteção contra surtos (DPS).

Além destes, há três outros componentes que normalmente estão associados à geração de calor excessivo nos painéis elétricos ou quadros de distribuição. São eles:

  1. Transformador de tensão.

    Aqui a geração de calor funciona assim: regimes intensos de trabalho e máquinas a todo vapor provocam ruídos. Estes, por sua vez, provocam perdas de tensão, que provocam degradação de isolamentos e geram muito calor.
    Para combater esse problema, é necessário utilizar um transformador de qualidade, que seja compatível com as singularidades da atividade na indústria ou empresa.

    2. Inversor de frequência.

    O painel elétrico com inversor de frequência transforma a corrente recebida da rede elétrica de alternada para contínua. Isso é comum para alterar, por exemplo, a rotação de motores elétricos. Por isso é amplamente utilizado no setor da automação industrial, sendo capaz de conduzir dezenas de motores simultaneamente.
    Essa “operação”, no entanto, envolve dissipação de calor. O que pode aquecer o painel elétrico em Curitiba. A qualidade do painel conta muito para evitar o sobreaquecimento.

    3. Fonte de alimentação.

    Quando subdimensionada, ou seja, quando há pouca energia para muita demanda, ocorre o superaquecimento. Um painel elétrico em Curitiba pode e deve ser projeto de forma atender a demanda em horários de pico de consumo, como no ligamento de máquinas e equipamentos. Isso consome mais energia do que nos demais períodos do dia. E a fonte de alimentação deve ser otimizada prevendo esses aspectos da rotina, para evitar o aquecimento.

Fatores externos de geração de calor

Além desses componentes, há fatores geradores de aquecimento no ambiente externo. É o caso de ruídos, calor e umidade. E o painel elétrico em Curitiba deve ser projetado prevendo essas situações.
Como medida de proteção, o painel precisa ser instalado em local apropriado, seco, climatizado e isolado de ruídos e interferências eletromagnéticas e analógicas.

Que cuidados precisamos ter com painéis elétricos em Curitiba?

Não há como fugir: a manutenção preventiva e as avaliações periódicas são a forma mais eficaz de manter a saúde e a longevidade dos painéis. E consequentemente, de toda a empresa ou edificação.

Nas manutenções preventivas e corretivas, são feitos reajustes, inspeção e reaperto das conexões. Também limpeza e organização dos componentes, verificação de temperatura com equipamentos especializados e medição de “grandezas elétricas”. São exemplos de grandezas a carga, a força, o campo, a energia, a tensão, a potência e a corrente elétrica.

O reaperto das conexões é necessário porque ao se deparar com essas peças, as cargas elétricas enfrentam resistência que gera a movimentação dos componentes. Isso ocorre especialmente com cargas pesadas, como a de um elevador ou bomba.

Neste vídeo aqui mostramos o exemplo de uma manutenção preventiva onde os técnicos da OMS Engenharia encontraram pontos de aquecimento num quadro de distribuição.

O exemplo do vídeo ocorre tanto em empresas novas e bem planejadas como em sistemas antigos. Isso porque, como explicamos, o aquecimento e o desgaste são naturais da atividade elétrica.

“É importante lembrar também que as modificações em hábitos de consumo, compra de equipamentos e aumento de demanda energética podem acabar gerando problemas de sobrecarga. Nesse caso, componentes do painel precisam ser substituídos de forma correta para evita problemas” – explica Mauro Nascimento Costa, diretor da OMS.

Quando fazer reforma ou troca?

Em alguns casos, é necessária a reforma ou a troca do painel elétrico em Curitiba. Na reforma são reaproveitados os componentes principais e mais caros do quadro, o que a torna uma solução mais barata.

Mas isso só é recomendável quando o painel possuir projeto e integridade garantida por manutenções prévias. A fiação precisa seguir um padrão de identificação e a disposição do sistema precisa estar correta, de acordo com o projeto.

A reforma ou troca é necessária quando, mesmo com manutenções periódicas, o painel continua apresentando pontos de sobreaquecimento ou quando os componentes já estão muito desgastados.

Disjuntores que desarmam circuitos com frequência e oscilações de energia são sinais de que é preciso agir o quanto antes. Afinal, cada parada na produção por falta de energia é um grande prejuízo.

“Além de evitar interrupções de fornecimento, a manutenção dos painéis elétricos em Curitiba aumenta a eficiência dos equipamentos e máquinas, gerando melhores resultados. Também garante a segurança de todos os usuários e diminui a conta de luz. Isso porque elimina o sobreaquecimento, que é sinônimo de perda de energia” – conclui Costa.