Blog

Mufla elétrica: o que é e quando a substituir?

Mufla elétrica

Conheça os vários tipos de mufla elétrica e saiba por que ela é tão importante

A mufla elétrica é uma terminação para cabos elétricos. É o dispositivo que serve para isolar um condutor de eletricidade quando este é conectado a:

  1. outro condutor
  2. um equipamento
  3. um barramento elétrico (tira grossa de cobre ou alumínio que serve para conduzir a eletricidade dentro de um quadro de distribuição de energia).

Portanto, a mufla elétrica é utilizada para conectar ou finalizar cabos alimentadores de energia, sejam eles de alta, média ou baixa tensão.

A importância da mufla elétrica

Vamos ao exemplo de uma indústria que opera em média ou alta tensão. Neste caso as muflas ficam na rede elétrica que alimenta os circuitos dos equipamentos da produção.

Se, por falta de manutenção preventiva, as muflas da rede estiverem danificadas, poderá ocorrer uma “fuga” de corrente através deste “caminho – falha” ocasionando a completa “destruição” da mufla e ocasionando também a queima do isolante do condutor, ou seja, comprometendo todo o cabo que compõe um circuito.

Consequentemente, o fornecimento de energia é interrompido, paralisando totalmente as máquinas alimentadas pelo circuito afetado.

Os equipamentos e máquinas dependem, portanto, do bom funcionamento de muflas. Além de isolar as terminações dos cabos, a mufla elétrica serve para aliviar o campo elétrico presente no cabo energizado; as muflas também fazem a transição – alimentador de uma edificação e a rede aérea da concessionária, geralmente em média tensão.

Muflas e terminais de cabos elétricos bem conservados garantem menos interrupções no fornecimento de energia e conferem segurança à rede elétrica.

Mufla elétrica externa e mufla interna

As muflas externas são preparadas para suportar exposição à radiação ultravioleta, chuva, névoa salina, poeira e outros agentes. E ainda assim precisam passar por manutenção preventiva anual para evitar curtos-circuitos.

Mas não existem apenas muflas externas. A mufla interna é utilizada em espaços confinados onde a terminação não é exposta a intempéries.

É o caso da mufla que liga um cabo a um barramento no quadro de distribuição de uma instalação elétrica.

A mufla elétrica interna também pode sofrer queda na resistência à isolação, o que representa risco de curtos. Esse perigo é revelado a tempo quando são feitas manutenções periódicas, e quando são feitos testes com equipamentos específicos para verificação dos cabos e muflas.

 Tipos de muflas de média tensão

A média tensão é muito comum em indústrias e empresas com grandes equipamentos. Existem variados tipos de muflas elétricas de média tensão, de acordo com os materiais componentes destes dispositivos. São exemplos a mufla elétrica termocontrátil, a contrátil a frio, a push-on e a modular.

  1. As muflas de material termocontrátil têm sido bastante utilizadas em substituição às tradicionais, que são de porcelana. Elas têm boa estabilidade térmica e são resistentes ao calor, com temperatura de fusão entre 50 e 100ºC. Também contém aditivos, como antioxidantes, retardantes de chamas, agentes de cura, catalisadores e estabilizantes contra raios ultravioletas.
  2. A mufla elétrica contrátil a frio é feita de compostos de borracha de silicone. A flexibilidade do silicone é a vantagem principal, já que facilita os processos de montagem. Por isso esse tipo de mufla pode ser usado em diferentes seções transversais de condutores. Essas muflas podem ser retiradas dos cabos e reaproveitadas.
  3. A mufla push-on também é feita de borracha de silicone. O diferencial é que possui um cordão plástico na parte interna. Esse cordão contrai a terminação no cabo quando o operador puxa o cordão, cuja função é aliviar a tensão na parte final do cabo.
  4. São formadas de um tubo de alívio de campo elétrico, uma cobertura de aterramento e saias poliméricas (isoladoras). Também são compostas de borracha de silicone.

“A escolha do tipo de mufla para cada caso, a instalação e a manutenção devem ser rigorosas. Se ocorrerem falhas na instalação, a mufla certamente terá seu desempenho comprometido com o passar do tempo. E prejuízos como a paralisação de atividades serão inevitáveis” – alerta o engenheiro eletricista Osmar Nascimento Costa, sócio da OMS Engenharia.

Planejamento e execução profissionais, somadas à  manutenção preventiva ainda são o melhor investimento.