Blog

Saiba como entender um projeto de instalação elétrica em Curitiba

Projeto de instalação elétrica em Curitiba

Para um leigo, olhar para um projeto de instalação elétrica em Curitiba é como tentar ler um livro numa língua muito, mas muito estranha. Símbolos, traços e formas próprias da engenharia elétrica parecem hieróglifos e complicam até mesmo o reconhecimento da planta baixa da edificação.

É por isso que a relação entre o cliente e a empresa de engenharia que vai realizar o projeto elétrico precisa ser de muita confiança e cumplicidade. E conhecer um pouco sobre a linguagem gráfica do projeto de instalação elétrica em Curitiba ajuda muito a estabelecer essas bases.  Além disso, facilita a comunicação entre clientes e engenheiros-eletricistas.

O que um projeto de instalação elétrica em Curitiba deve conter?

Essa informação é fundamental para que você consiga entender o que o profissional de engenharia elétrica está colocando no projeto. E também solicitar as informações necessárias, tirar dúvidas, assimilar as etapas da obra, planejar custos e sugerir ou indicar aquilo que espera da instalação elétrica.

Basicamente, o projeto de instalação elétrica em Curitiba deve conter:

  1. A localização dos pontos de consumo de energia elétrica. Também seus comandos e indicações dos circuitos a que estão ligados.
  2. A localização dos quadros e centros de distribuição de energia do sistema elétrico.
  3. O trajeto dos condutores (inclusive dimensões dos cabos e caixas).
  4. Um diagrama discriminando os circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra e proteção.
  5. A indicação do material a ser utilizado.

Como seria praticamente impossível reproduzir todos os componentes de uma instalação elétrica em exatidão, símbolos são utilizados para representá-los.

A norma técnica que especifica esses símbolos, no Brasil, é a NBR 5444 sb2/89. Ela estabelece, basicamente, quatro elementos geométricos para representar as estruturas elétricas: o traço, o círculo, o triângulo equilátero e o quadrado.

Veja o exemplo neste projeto de instalação elétrica em Curitiba. Ele foi executado pela OMS Engenharia para a empresa Sorvetes Bapka.

PROJETO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM CURITIBA

 

  • Todo traço é um eletroduto

Num projeto de instalação elétrica em Curitiba, os dutos que protegem e envolvem “cabos” ou condutores de energia são representados por traços. O diâmetro dos eletrodutos é sempre anotado em milímetros.

PROJETO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM CURITIBA
Fonte: IFSC
  • Quadrados

Indicam sempre estruturas quem ficam no piso da edificação. São exemplos dessas estruturas as caixas de telefone e as caixas de medição de energia. Também os quadros de distribuição, que recebem a eletricidade por um cabo de entrada e a distribuem para os determinados circuitos do sistema elétrico, como salas, máquinas, iluminação, computadores, andares ou setores da empresa.

PROJETO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM CURITIBA
Fonte: IFSC
  • Círculos

Os círculos sempre indicam, no projeto de instalação elétrica em Curitiba, pontos de luz e interruptores. Também representam qualquer tipo de dispositivo embutido no teto da edificação, como pontos de lâmpadas.

PROJETO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM CURITIBA
Fonte: IFSC
  • Triângulos

Representam tomadas. Variações nesses símbolos indicam se as tomadas são de luz, internet (cabeamento de dados) ou telefone (cabeamento de voz). Devem conter indicação de modificações na altura de instalação dessa rede, seja baixa, média ou alta.

PROJETO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA EM CURITIBA
Fonte: IFSC

As etapas da elaboração de um projeto de instalação elétrica em Curitiba

Em todas as etapas da realização de um projeto elétrico, é essencial que haja interação entre engenheiros e clientes. Estes ajudam muito passando informações sobre hábitos de consumo e necessidades energéticas da empresa ou indústria. É por isso que o projeto segue três etapas:

  1. Avaliação das necessidades do cliente

 Nessa fase é feito o levantamento da previsão de cargas (quantidade e potência nominal dos pontos de utilização, tomadas, iluminação, elevadores, bombas, ar condicionado e outros).

Tudo começa com reuniões e visitas in loco para definir com o cliente o tipo de iluminação adequada. Também os critérios de eficiência energética e usos da eletricidade. Além disso, como será a forma de alimentação, pontos de consumo, se haverá geradores, transformadores e outros equipamentos.

Na interação com o cliente, o engenheiro orienta sobre as especificações que o projeto deverá ter para atender a demanda ou necessidades de consumo.

  1. Estudo preliminar

Plantas iniciais são elaboradas para demonstrar a localização dos pontos de consumo de energia, lâmpadas e tomadas de acordo com critérios das normas brasileiras. As NBRs definem, por exemplo, a quantidade mínima de luminárias e tomadas que um determinado ambiente deve ter.

  1. Projeto elétrico completo

Nesta fase final os desenhos detalhados da instalação são integrados aos demais projetos da obra, como o hidráulico, por exemplo.  Isso para compatibilizar interferências entre eles.

É aqui que são definidos os percursos dos eletrodutos e os terminais de energia. Bem como a localização dos quadros de distribuição de luz e de força, a divisão das cargas em circuitos terminais, as tubulações de circuitos terminais e de circuitos alimentadores, a localização das caixas de passagem dos pavimentos, medidores e outros.

Essa etapa deve primar pela minimização de custos de materiais prevendo, no entanto, a boa qualidade e o uso futuro da instalação elétrica, cuja tendência é ter sempre elevação de demanda.

É o que acontece quando ampliamos a produção de uma fábrica, por exemplo, e precisamos de mais energia para novos equipamentos.

“O bom projeto de instalação elétrica em Curitiba prevê possibilidades de ampliações e incrementos no sistema. É preciso deixar espaço para futuras reformas elétricas e para manutenções preventivas e corretivas. Assim, gastos são evitados e a segurança é mantida agora e sempre” – explica Mauro Nascimento Costa, sócio da OMS Engenharia.

Pronto! Agora você já pode olhar para um projeto elétrico sem medo, entendendo o que se passa em cada etapa. E sabendo quanta energia está por trás de cada triângulo, quadrado, traço ou círculo de uma instalação elétrica.